BLUES TO THE LORD - CHURCH
...............................................
Voltando para casa ...
Estudos Bíblicos EvangélicosHome

Tamanho da letra:  Diminuir [-]  Aumentar [+]            Imprimir somente o texto   

1 Coríntios

O uso do véu pelas mulheres - 1 Coríntios 11:1-16

Aviso! Ao final da exposição você entenderá que:
Quando a mulher coloca o véu de pano terreno e impuro sobre a cabeça, é porque não tem a cobertura de Cristo e nem do marido, confirmando que sua cabeça está em desonra diante de Deus e dos anjos. Quem pratica esse falso mandamento do Senhor, obrigando o uso do véu de pano terreno e impuro, está apresentando, essas mulheres, como se fossem incrédulas ou imundas, SEM CRISTO, precisando usar um véu de pano terreno inútil para poderem ter acesso a Cristo.

O véu de pano terreno e impuro tem mais poder que o sangue de Cristo?
O véu de pano terreno e impuro tem mais poder do que o sacrifício do Cordeiro de Deus?

Quem é a cobertura? Cristo ou o véu de pano terreno e impuro?

Sendo bastante o véu de pano terreno e impuro para dar autoridade e cobertura para as mulheres santas, Deus Pai foi maligno e Cristo sofreu em vão como um suicida. Blasfêmia!

Se Cristo não é a cobertura que dá autoridade, o véu de pano terreno e impuro, dá? Isso é doutrina de demônio blasfemando da glória do único Senhor e Salvador, Autoridade e Poder.

O apóstolo Paulo, na carta aos coríntios, não manda usar véu de pano terreno, e nem diz que é um "mandamento do Senhor", ao contrário, diz que o cabelo foi dado em lugar do véu e vai além com interpretação revelada.

Algumas denominações, deixam de cobrar o dízimo da Lei de Moisés mas, entretanto, o véu de pano terreno é colocado como justiça e justificação para salvação. Só mudaram o tema ou objeto da blasfêmia.

O capítulo 11 de 1 Coríntios, do versículo 1 ao 16, traz a seguinte consideração:

Versículos 1 e 2, o apóstolo chama a atenção para que sejamos seus imitadores como ele é de Cristo.

Você vê no apóstolo Paulo a mesma ousadia e arrogância como muitos de púlpito insinuam ou alegam? Certamente que não. O apóstolo Paulo é um "filho verdadeiro" e com honra de Deus para dizer isso.

O apóstolo Paulo não é um falso crente, um falso cristão, um falso apóstolo ou um falso obreiro que engana ou perverte a verdade do evangelho de Jesus Cristo. Não faz, da igreja de Cristo, casa de prostituição espiritual, política e negócios que blasfemam da santidade do Senhor.

Sendo que, o apóstolo Paulo, viveu aqui, pelo tempo que lhe coube, as aflições de Cristo, como um que verdadeiramente tem o Pai e o Filho em si, pelo verdadeiro Espírito Santo, vivendo pelo verdadeiro evangelho.

Então, o que Paulo escreve, tudo o que foi escrito através dele, é Palavra de Deus, e que, aqueles que se levantam e se dizem evangélicos, ao ponto de chamar o apóstolo Paulo de "careta" ou "ultrapassado" para os dias de hoje, que os líderes de hoje têm mais "visão" (igreja de visionários), que sorrateiramente, estão substituindo os apóstolos do Cordeiro e seus fundamentos, pelos "apóstolos visionários da nova era", certamente, esses não têm o Espírito Santo para interpretar as verdades eternas e, nem são verdadeiros crentes ou irmãos, segundo o evangelho da graça de Jesus Cristo.

Seguindo ...
O versículo 3 diz:
"Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o varão, e o varão a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo."

Aqui o apóstolo Paulo está falando de "autoridade sobre" e, governo, cobertura. A ordem como o Senhor Deus estabeleceu todas as coisas e seus significados eternos.

Se alguém, lendo esse e outros textos bíblicos que enfocam o mesmo contexto e assunto, disser que, "não é bem assim", pronto, tenha certeza que é um falso crente ou indouto querendo alterar a Palavra de Deus e fazer sua própria doutrina ministerial.

"Cabeça" significa governo e autoridade e, se um corpo tem a sua cabeça, certamente, na cabeça, está a regência do corpo.
Deus fez tudo perfeito, o natural e o significado de verdades espirituais eternas. Sair dessa linha e fundamento traz confusão, enganos e, como diz o apóstolo Paulo, seja anátema.

Em seguida, o apóstolo Paulo nos versículos 4 e 5, escreve:
"Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça.
Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada."

E agora?
Paulo está se referindo à "cabeça" no sentido natural ou já está indo mais além, nas interpretações reveladas?

Bom observar, agora, o que o apóstolo Pedro falou sobre o apóstolo Paulo:

2 Pedro, capítulo 3, diz:
"15. E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;
16. Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender; que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição. " (grifo meu)

Atentar para a expressão que o apóstolo Pedro usa "... para sua própria perdição."

Não é algo que permita tolerância. Torcer a verdade da Palavra de Deus traz "perdição".

Voltando ao texto nos versículos 4 e 5, surgiu a questão:
Paulo está se referindo à "cabeça" no sentido natural ou já está indo mais além, nas interpretações reveladas?

Aqui há interpretação revelada:
Em 1 Coríntios 11:4, diz:
"Todo o homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça."

Para o homem, cabeça coberta significa: Estar debaixo da autoridade de mulher.

Em seguida, 1 Coríntios 11:5 diz: "Mas toda a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta, desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada."

Para a mulher, cabeça descoberta significa: Estar sem a cobertura da autoridade do homem ou de Cristo, não do pedaço de pano natural. (Todavia, no versículo 6, o apóstolo Paulo faz uma conclusão, ainda intermediária, com a expressão (conjunção conclusiva) "Portanto", introduzindo o aspecto natural, ou seja, o véu de pano.)

Essa revelação diz respeito direto às igrejas, que se dizem evangélicas, onde, as mulheres, atuam com autoridade ou liderança sobre ministérios e rebanhos e, exercem, também, autoridade sobre maridos.

Observação! Até este momento, o apóstolo Paulo está falando de verdades espirituais reveladas. Nada até aqui tem conotação e nem expressões naturais ou de sentido terreno, que surgem no versículo 6.

1 Coríntios, capítulo 11, diz:
"6. Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu.
7. O varão pois não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas, a mulher é a glória do varão."

Quando lemos os versículos 6 e 7, entendemos a razão de questionar se o apóstolo Paulo está fazendo exposição dentro do campo natural ou espiritual. Nos versículos anteriores ao 6, a exposição de Paulo está dentro do campo revelado, espiritual e, nos versículo 6 e 7, há uma notória mudança. Surge o "véu" de pano, natural. Surge também a expressão "tosquiar-se", em sentido natural.

Temos o foco na interpretação de 1 Coríntios, do versículo 1 ao 16. De um versículo para outro o apóstolo Paulo altera a base do que está expondo mas sem sair do assunto, entretanto, progressivamente, Paulo faz, nessa progressão temporal, concisas e fechadas conclusões (ao mesmo tempo que, em breves frases, não expande com explicação).

Observação! Normalmente, quando o assunto do uso do véu é questionado, não se aceita ou nem se argumenta sobre a conclusão que o apóstolo Paulo apresenta, mas, cria-se uma divagação de interpretações subjetivas sobre as breves frases, e, dessas divagações, criam-se as conclusões e imposições doutrinárias.

Dos versículos 6 e 7, tanto o natural e o espiritual estão expostos. O natural é notório: cabelo, véu, tosquiar. E o espiritual? O véu tem intepretação lavada para o véu do templo, sendo a mulher a figura da Igreja, o véu representa a separação que havia entre Cristo e a Igreja. O véu foi desfeito. O acesso ao céu foi liberado em Cristo. O véu representa, também, a carne, a lei. Nisso, o cuidado para compreender a progressão temporal que o apóstolo Paulo apresenta no texto em breves 16 (dezesseis) versículos.

Em seguida os "Porquês".

1 Coríntios, capítulo 11, diz:
"8. Porque o varão não provém da mulher, mas a mulher do varão.
9. Porque também o varão não foi criado por causa da mulher, mas, a mulher por causa do varão."

A interpretação dessa Palavra é:
- Porque Cristo não provém da igreja, mas a igreja, provém de Cristo.
- Porque também Cristo, não foi criado (gerado) por causa da igreja, mas a igreja, por causa de Cristo.

Assim, através do natural, temos a consideração, também, do espiritual.

É comum ouvir:
"Sem a mulher não se tem descendência, ou, sem a mulher ninguém nasce."
Mas, esses argumentos são conforme o homem natural, sem o entendimento expandido para a dimensão das verdades espirituais eternas da Palavra de Deus. As dimensões da Palavra de Deus são de outra natureza.

Ainda, sobre os versículos 8 e 9: Deus fez a mulher do homem, e não o contrário. A mulher tem origem do homem e não o contrário. A mulher foi constituída por causa do homem, e não o contrário.

Essas coisas, não podem ser interpretadas segundo a sabedoria de homem natural, pois, são de interpretação das verdades eternas e imutáveis, conforme ensina a Palavra de Deus, desde o início.

Não é caso de machismo, autoritarismo de homens, escravidão ou submissão feminina. Esses tipos de argumentos são contra a verdade que a Palavra de Deus ensina. Argumentos assim, diz a Palavra, são terrenos, diabólicos, cheios de peçonha de inveja, e não segundo Cristo. Aqui, entra também, a famosa e tão explorada igualdade para homens e mulheres com argumentos naturais, firmada fora da compreensão da Palavra de Deus.

Por causa, sobretudo, da "inveja", pelo espírito do engano e sutilezas, tentam mudar isso, conforme vemos nos dias atuais em ensinos e constituição de igrejas chamadas evangélicas, apresentando doutrinas "agradáveis" aos próprios interesses modais, segundo o mundo, e não segundo Cristo.

Os assuntos se fundem, não estou saindo do contexto, vem para escrever assim. Deus seja louvado.

O apóstolo Paulo estava falando sobre véu nos versículos 5 e 6, mas, nos versículos 7, 8 e 9 "parece" que foge de uma resposta e explicação objetiva, e passa a explicar "verdades espirituais" embutidas em coisas naturais.

Quem explica 1 Coríntios 11, versículo 10?
"Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos." (destaque meu)

Esse versículo é a revelação, a chave, de todos os outros versículos deste assunto. Vincula diretamente à outra conclusão que virá no versículo 15, ou seja, o cabelo foi dado no lugar do véu.

Quem explica esse versículo 10? Mas, é o versículo, juntamente com o 15, que todos passam por cima ou nem lembram deles (propositadamente). E, quando lembram, dizem que é unicamente o véu de pano o sinal de poderio.

Quando se quer um evangelho prático e pessoal, que esteja conforme "eu penso", "eu entendo", "eu acho", "na minha opinião", "a visão do meu ministério", "a onda agora", ... a Palavra de Deus não passa de um livro inútil e, as igrejas que torcem ou ignoram o que está escrito, certamente, conforme a Palavra de Deus ignorada diz: para sua própria perdição.

O apóstolo Paulo escreveria algo sem sentido ou sem propósito, ou, escrever por escrever sem fundamento ou sem razão de ser? Certamente que não. Certamente, também, que Deus não colocou cabelo sobre a cabeça do homem e da mulher porque é uma questão estética, Deus não faz nada sem significado ou sem propósitos.

Se anulamos este versículo e damos um jeito de explicar conforme sabedoria natural, vamos cair em 2 Pedro 3:15 e 16.

Vamos navegando para os versículos seguintes ... para que tudo seja manifestado.

1 Coríntios, capítulo 11, diz:
"11. Todavia, nem o varão é sem a mulher, nem a mulher sem o varão, no Senhor.
12. Porque, como a mulher provém do varão, assim também o varão provém da mulher, mas tudo vem de Deus."

Observar que o versículo 11 inicia com a expressão "Todavia" (no entanto, mas, porém, contudo). O plano da dimensão que Paulo dá para este versículo não é no limite da geração de descendências naturais. Está complementando os versículos, diretamente os versículos 8 e 9, e, mais além, desde antes e da fundação do mundo, e, incluindo um detalhe que altera qualquer entendimento natural: " Todavia, nem o varão é sem a mulher, nem a mulher sem o varão, no Senhor. "

O que significa: "no Senhor" ?
Deus é cabeça de Cristo. Cristo é cabeça do varão. O varão é cabeça da mulher.
Se excluir Deus, exclui também Cristo, pois, Cristo não se separa de Deus Pai. (ver estudo sobre a Santíssima Trindade neste site)

Então, se um homem não tem "cabeça" sendo descrente, a mulher descrente, também não terá, mas, pela lei (do mundo) está debaixo da autoridade do marido. Se é mulher casada e convertida e o marido descrente, Cristo é a cabeça, mas, pela lei (de Cristo), vive debaixo da autoridade do marido. Se é solteira, a mulher crente, vive debaixo da cabeça que é Cristo e, do pai natural, pela lei (de Cristo), mas, se o pai é também convertido, Cristo é cabeça e plena autoridade.

No versículo 13, o apóstolo Paulo faz a pergunta:
"Julgai entre vós mesmos: É decente que a mulher ore a Deus descoberta?"

O apóstolo, já acrescenta a resposta nos versículos 14 e 15:
"Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o varão ter cabelo crescido?
Mas, ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar do véu." (destaque meu)

No versículo 15, o apóstolo Paulo apresenta a conclusão da progressão temporal do assunto em foco: O cabelo foi dado em lugar do véu. Se o cabelo foi dado em lugar significa que o cabelo substituiu o véu no seu significado e razão de ser. Não se usa véu porque o cabelo está no lugar dele. O apóstolo Paulo está mentindo? Tem como pular esse versículo 15 e dizer que o véu não foi substituído pelo cabelo? Tem como interpretar de outro modo? Certo que não. O vewrsículo 15 traz a conclusão do que Paulo está apresentando.

O que é honra? Segundo o dicionário:
sf. 1. Princípio de conduta pessoal fundamentado na ética, honestidade, coragem, e em outros traços de comportamento socialmente considerados virtuosos; DIGNIDADE; HONRADEZ: Mostrou que tinha um código de honra inflexível. [ Antôn.: baixeza, indignidade. ] 2. Demonstração de respeito e reconhecimento para com pessoas de mérito: Marta merece receber todas as honras. 3. Castidade (da mulher); PUREZA; VIRTUDE: Defendeu a honra da irmã. (...) (Dicionário Aulete)

O apóstolo está firmando que, pela natureza, conforme Deus formou, é desonra para o homem ter cabelo crescido, para parecer mulher e, para a mulher, ter cabelo crescido é honroso e foi dado em lugar do véu.

Então, pelo aspecto aparente, sabemos como é um cabelo crescido e, também, como é um cabelo aparado, não crescido, curto.

Erros de interpretação, também trazem exageros, no sentido de que o cabelo da mulher deve ser até os calcanhares. Não ...
Mas, cabelos crescidos, diferenciando do cabelo do homem que é aparado, curto. Se a mulher deixar o cabelo até na altura da cintura, nas costas, nos ombros, com modéstia, nada de erro nisso, mas, se transformar a conduta em radicalismo fora do que a Palavra de Deus está dizendo, certamente comete pecado. No versículo 16 isso ficará entendido.

Mais uma vez: O apóstolo Paulo não iria escrever como "careta", "fora de moda", "fora de visão", "fora da onda apostólica visionária" ... enfim, que para a mulher é HONROSO TER CABELO CRESCIDO E QUE, ESSE CABELO, LHE FOI DADO EM LUGAR DO VÉU, E, PARA O HOMEM, O CONTRÁRIO.

E o versículo 16? Palavra de Deus é assim, os assuntos vão ajustando perfeitamente uns nos outros.

Para finalizar, 1 Coríntios 11, diz:
"16. Mas, se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as igrejas de Deus."

Contencioso = Contender = Dicionário » Litigioso; sujeito a dúvidas e reclamações; controvérsia; disputa; combate; guerra; peleja; esforço para conseguir alguma coisa;

A frase, "nós não temos tal costume", está afirmando que:
- Que a igreja não tem o costume de contender? Mas, se alguém quer ser rebelde, desobediente, ao que eu, apóstolo Paulo ensino, e, que as igrejas devem seguir, nós não temos essa conduta, esse comportamento ou esse costume de contender, e nem as igrejas de Deus.

- Ou, que a igreja do Senhor não tem o costume de usar o véu? O texto permite essa outra opção de interpretação, por causa da ambiguidade. Para quem quer ser contencioso sobre o uso do véu, ele esclarece que a Igreja do Senhor não tem tal costume. Quer dizer que a igreja não tem o costume de usar o véu e não o de contender. Então, não seria o costume de contender e sim de não usar o véu. Afirmando, também, que usar véu é costume e não mandamento. Essa segunda interpretação está perfeitamente alinhada ao texto, conforme a progressão que o apóstolo Paulo apresenta.

Dando um exemplo popular, seria o mesmo, dizer assim: "Não adianta insistir, nós não fazemos isso."

Diferente, não é?

Esse versículo, normalmente é apresentado com a interpretação torcida e, muitas vezes, fora do contexto, pelos obsessivos doutrinadores da "falsa liberdade de Cristo", da liberdade "gospel", tomando a liberdade como ocasião para pecados, abusos e blasfêmias contra a Palavra de Deus.

Usam esse versículo para alegar que o assunto do cabelo é "dispensável e sem importância", pois, é uma questão de gosto, entrando até em aspectos sensuais e pervertidos de que a mulher deve se arrumar de modo que "chame a atenção do marido ..." e por aí vai ... são mentirosos e enganadores pervertidos.

Mas, se é por uma questão de gosto, então o apóstolo Paulo, o próprio Senhor Deus, e Jesus Cristo, falam e escrevem coisas sem sentido e, até parece que o Deus vivo é um ignorante que fala por falar.

No estudo dos dízimos e ofertas já ficou provado que, os "doutores das igrejas malaquianas dizimistas", transformaram Deus Pai e o Senhor Jesus Cristo em dois burros e ignorantes que não sabem o que fazem ou dizem.

Esses indoutos, fazem entender que, para os dias de hoje, o evangelho não é mais segundo o fundamento dos apóstolos do Cordeiro, mas, segundo os apóstolos, bispos, pastores e demais obreiros da Nova Era Evangélica.

No versículo 16, o apóstolo Paulo escreve que, eles não contendem o assunto, não porque o assunto seja dispensável, inútil, mas, sim, porque, eles obedecem às verdades ensinadas, sem questionar a Deus, e sem questionar seus verdadeiros ensinadores, verdadeiramente constituídos e ungidos por Deus. Que, nem entre eles e nem nas igrejas de Deus há comportamento ou hábito de rebeldia contra o que os verdadeiros ungidos ensinam da parte de Deus. E mais, a Igreja do Senhor não tem o costume de usar véu.

Diferente, não é? Entende como posso torcer a Palavra dando uma interpretação falsa, mas parecida com a verdadeira?

Isso é normal no meio evangélico quando alguém, diante do que escrevo, vem gritando como torcedor louco e fanático, soltando frases de efeito tipo: "não julgue" ... "não toque no ungido" ... "Deus julgará" ... mas, quando você entra para "argumentar" a Palavra de Deus no contexto do assunto tratado, a saída clássica é gritar mais e chamar você de diabo e por aí afora, mas ... argumentar ... não.

A Palavra de Deus não permite divagação ou interpretação pessoal tendenciosa.

Muitos torcem a verdadeira interpretação revelada e levam para o lado natural, criando uma sensação de que são poderosos e livres. Cito o exemplo das igrejas chamadas evangélicas, da "onda apostólica gospel" e todos os que "copiam", (por inveja no que é aparente), suas doutrinas e condutas, que alegam serem os da verdadeira graça e não vivem debaixo de jugo de costumes de homens e jugos da Lei do Velho Testamento.

Por um lado, quanto ao aspecto de jugo da Lei do Velho Testamento, são obstinados pela doutrina malaquiana, dizimista e mandam até para o inferno quem não dá dinheiro para "suas" igrejas apostólicas, ou guardar o dia de sábado e outras aberrações contra a Palavra de Deus e o Espírito da graça.

Por outro lado, baseado nesse assunto do véu e o cabelo, a interpretação que dão é para que não haja contenda e as pessoas são livres se quiserem ter cabelo comprido ou curto, pois, o assunto, não passa de costume de homens.

Então, os libertinos da graça gospel, andam na "moda" conforme o espírito do mundo vai ditando as regras, com roupas, condutas e linguagens que são geradas pelo espírito do mundo (Efésios 2).

Compreende? Para que serve o que Paulo escreveu antes do versículo 16?
Esses são os indoutos que torcem a Palavra de Deus e geram discípulos "naturais" conforme seus próprios evangelhos, suas próprias fraquezas, cheios de arrogância natural fazendo parecer como se fosse ousadia do Espírito Santo.

Por isso, vemos esse espírito de arrogância cada vez mais abusado dentro das igrejas e os discípulos cegos, seguem seus líderes como se fossem deuses, mas, falseiam a Palavra de Deus ... e, tudo o que pregam e ensinam é só: amém ... amém ... amém ...

Por isso, mesmo quando pecam e fazem coisas perversas falam que é perseguição do inimigo, aumentando o pecado e enchendo a falsa "casa de Deus" de mortos espirituais.

Se, conforme interpretam os "evangélicos da nova era" que, o apóstolo Paulo, verdadeiro apóstolo de Cristo, fala no versículo 16, que, ser contencioso, é para não discutir o assunto por ser dispensável e cada um cuida de si e deixa o cabelo como quer, o que ele, apóstolo Paulo, escreveu dos versículos 1 ao 15, não tem qualquer valor. Vamos chamar o apóstolo Paulo de louco e rasgar todas as suas cartas.

Repito: Deus Pai e Jesus Cristo ficam, e seus apóstolos também ficam, parecendo ignorantes diante dos doutores que torcem a Palavra de Deus, para satisfazerem seus próprios interesses e criarem seus próprios evangelhos e seus rebanhos conforme seus "espíritos". Deus falhou ... não consultou os doutores ...

O argumento da Congregação Cristã do Brasil - CCB
"Descoberta Akatakaluptos, (akatakaluptoV ), "descoberto" (fornecido de a, elemento de negação, e katakaluptõ, "cobrir"), é usado em I Cor. 11.5,13 ("descoberta"), com referência a injunção proibindo as mulheres estarem sem "véu" ou "descobertas" nas reuniões da igreja. Pouco importando que tipo de cobertura seja, deve estar na cabeça como "sinal de poderio" (I Cor. 11.10), e cujo significado é indicado em 1 Cor. 11.3 no assunto de supremacia, e cujas razões são dadas em 1 Cor. 11.7,9 e na frase "por causa dos anjos" (1 Cor. 11.10), indicando o testemunho e interesse deles naquilo que indica a supremacia de Cristo. As injunções não eram nem judaicas, que exigiam que os homens cobrissem a cabeça na oração, nem gregas, pelas quais homens e mulheres ficavam igualmente com a cabeça "descoberta". As instruções do apóstolo Paulo eram "mandamentos do Senhor" (1 Cor. 14.37) e eram para todas as igrejas ( 1 Cor. 14.33,34)."

Basta compreender que esse tipo de argumento da Congregação Cristã do Brasil - CCB é de homem natural que não tem inspiração da interpretação revelada embutida no texto do apóstolo Paulo. Alegam que o uso do véu é mandamento do Senhor.

O "sinal de poderio", de início, pede considerar se, a expressão "poderio", está adequada para o texto e contexto.

O que é "poderio"?
Dicionário: adj. Grande poder, autoridade. Império. Domínio, jurisdição.

O sinal significa "estar debaixo de cobertura".
Conforme o apóstolo Paulo escreve, suas exposições possuem embutidas as revelações espirituais, além da natural.
Essa cobertura significa estar debaixo da autoridade do homem ou de Cristo.

Concluindo:
- O apóstolo Paulo seria insensato iniciando o texto afirmando algo (usar véu) e do meio ao fim, negando o que havia dito (cabelo dado no lugar do véu).
- Para o homem, é desonroso ter a cabeça coberta significa: Estar debaixo da autoridade de mulher.
- Para a mulher, cabeça descoberta significa: Estar sem a cobertura da autoridade do homem ou de Cristo.
- O véu "natural" - tecido - não se usa. O cabelo foi dado para substituir o véu. O cabelo é o véu da mulher.
- Quando mulher usa o véu de tecido significa que não tem cobertura real, é indigna.
- O cabelo crescido para a mulher é honroso e é sinal de poderio por causa dos anjos. O cabelo foi dado no lugar do véu.
- O homem, ter cabelo crescido, como mulher, é desonroso.
- A mulher, orar ou profetizar "descoberta", ou seja, sem a autoridade de Cristo e sem autoridade do marido, desonra sua própria cabeça. (figura = cabeça rapada)
- A solteira, sua cobertura é Cristo e seu pai.
- Há interpretação de verdades espirituais eternas.

Leitura complementar:
· Doutrina da Santíssima Trindade - Católica Apostólica Romana.
· O Grande Incêndio - O verdadeiro e os falsos fundamentos - 1 Coríntios 3:1-23.
· Adão não foi enganado - Eva foi enganada.
· A separação dos reinos - Reino dos Céus e reino das trevas.

Sergio Luiz Brandão

Atualização: 06.06.2015

· Estudos Bíblicos Evangélicos - Apresentação
· Estudos Bíblicos Evangélicos - Índice
· Livros Online - Estudos Bíblicos Evangélicos
· Mensagens Bíblicas Evangélicas - Relevantes
· Mensagens Bíblicas Evangélicas - Áudio
· Falsas Doutrinas Evangélicas
· Perguntas e Respostas Bíblicas Evangélicas
· Cânticos Livres
· Cânticos Livres - Download MP3
· Deus Pai tem uma Lágrima
· História "BLUES TO THE LORD - CHURCH"
· Jornada pela Liberdade - Igreja nos Lares
· Eu Não Sou Mais Presbítero
· Formulário - Contato
· Receber Informativos
· Formulário - Indicar Site
· Cancelar Recebimento de Informativo
· Política de Privacidade
BLUES TO THE LORD - CHURCH - Brasil - São Paulo - Site Evangélico - 2004 ...
www.blues.lord.nom.br