BLUES TO THE LORD - CHURCH
...............................................
Voltando para casa ...
Falsas Doutrinas Bíblicas EvangélicasHome[x]

Tamanho da letra:  Diminuir [-]  Aumentar [+]            Imprimir somente o texto   

001: Doutrina da Santíssima Trindade - Católica Apostólica Romana.

Introdução
Através desse estudo bíblico será feita a reinterpretação da Doutrina da Trindade, dominante no cristianismo.

Não farei abordagem ampla sobre Unicistas, Testemunhas de Jeová e outros "estranhos à Palavra de Deus", porque são heresias marginais que não interessam aos fundamentos dos apóstolos para a Igreja de Jesus Cristo. (Efésios 2:20)

Exporei alguns conceitos básicos, necessários para progredir nas interpretações.

O principal, incomparável, será a interpretação da Palavra de Deus.

Se você dispõe de uma Concordância Bíblica e, fizer um levantamento por palavras ou frases específicas, tipo: Senhor, Senhor Jeová, Jeová, Deus, Espírito de Deus, Espírito Santo, Espírito do Senhor, Pai ... e, lendo o conteúdo, na primeira impressão poderá dizer: "Como separar isso?" "Quem é quem?"

Mas, nada na Palavra de Deus fica sem interpretação, sobretudo a interpretação revelada.

Se eu creio na Trindade? Não! Como alguém poderia acreditar em algo que não existe. A doutrina da Trindade não passa de uma invenção de homens. Transformaram em doutrina uma opinião que possui sentido aparentemente lógico e, dela, surgem desdobramentos que "estranhamente" favorecem perfeitamente os interesses do catolicismo romano. (sinal da cruz, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ...)

A divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo é inegável, mas, a doutrina da Trindade visa criar um sugestionamento científico sobre o que o Senhor Deus não permite. Essa é a glória do homem (Satanás): transformar a glória de Deus em ciência humana.

A doutrina da Trindade tenta criar a sensação de que existem três pessoas nas quais a divindade é manifestada. Em muitas igrejas já ouvi a frase: "o Espírito Santo é uma pessoa". Isso decorre da doutrina da Trindade. Nas considerações abaixo, será evidente que não existem três pessoas, senão, a Unidade seria quebrada.

Antecipo que não ficarei desmembrando expressões ou palavras, segundo seus confusos significados, que a teologia tem, por regra, fazer, mostrando sabedoria científica. Mas, conforme a simplicidade do Espírito Santo, apenas as compreensões básicas que, para um bom entendedor, pelo Espírito Santo, basta.

Conforme escrevi para um "letrado", rebatendo o que tenho escrito sobre a Trindade, que apresentou um conhecimento comparado ao de um físico ou cientista, que, é capaz de "fazer uma lâmpada", conforme as dezenas de livros que tenha lido e decorado suas "fórmulas" limitadas e que não permitem questionamentos.

Esse Físico, conseguirá "fazer uma lâmpada", e fazer a luz manifestar pelo modo científico.
Entretanto, esse Físico jamais conseguirá dizer: "Haja Luz" e a Luz passar a existir.

O que é Trindade?
A Doutrina da Trindade argumenta que há um único Deus em três pessoas distintas, diferentes (*), que são: Pai, Filho e Espírito Santo.

Segundo a Doutrina da Trindade, cada uma das três pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo, pode ser chamada de Deus, assim: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.

Abrangentemente, a Igreja Evangélica, que adotou a Doutrina da Trindade, se diz monoteísta, ou seja, que admite a existência e crê em um único Deus e, esse único Deus, está presente na pessoa do Pai, na pessoa do Filho e na pessoa do Espírito Santo.

A Trindade é uma doutrina fundamental e inquestionável do cristianismo.

O que é Unicismo?
Os unicistas afirmam que há um só Deus e que Jesus Cristo é Deus, daí, decorre a sustentação de que Jesus Cristo é Deus na sua totalidade e, ainda, Jesus Cristo tem que ser o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

A doutrina unicista anula a Doutrina da Trindade.

Conceitos: Monoteísmo e Politeísmo
O monoteísmo é a crença em um só Deus. A divindade no monoteísmo é: onipresente, onisciente e onipotente.
O monoteísmo trinitário é a afirmação de um só Deus em três pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo.

O politeísmo consiste na crença em mais de uma divindade.
A divindade pode ser de gênero masculino, feminino ou indefinido.
Cada divindade, no politeísmo, é individual e independente.
No politeísmo reconhecem deuses e deusas, originados de fontes diversas.

Vamos iniciar a interpretação seguindo um caminho progressivo.

O que é PESSOA? (*)
Pessoa, segundo o dicionário: Criatura humana, individualidade.
Através do estudo apresentado ficará notório o grave erro do uso da expressão pessoa na Doutrina da Trindade, independente das variadas intenções filosóficas ou teológicas que pretendam dar para ela.

O que é CRIATURA?
Criatura, segundo o dicionário: Efeito de criar, todo ser criado, homem, indivíduo.

O que é CRIAÇÃO?
Criação, segundo o dicionário: Ação ou efeito de criar, de tirar do nada. Totalidade dos seres criados. O universo visível. Produção, obra, invento.

EU SOU O QUE SOU.
Deus se apresentou ao povo de Israel, conforme consta no livro do Êxodo, capítulo 3, versículo 14. dizendo:
" E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós. "

Deus, o Deus de Israel é autoexistente, o único Deus verdadeiro. Ele é a plenitude do absoluto.
Sendo Deus, ESPÍRITO e plenitude que não foi criada, ou seja, existe por si mesmo, autoexistente, SE FOSSE CRIADO, deixaria de ser o verdadeiro e único Deus, essa glória seria de outro, então, essa plenitude autoexistente chamada Deus, NÃO PODE SER UMA PESSOA.

A expressão "pessoa" implica uma identificação de natureza terrena e, Deus, não pode ser relativizado em natureza terrena. A natureza de Deus é espiritual, celestial, inalcansável ao entendimento humano, por isso DEUS É ESPÍRITO. Deus é Deus, Deus não se submete dentro da limitada dimensão de pessoa.

Se digo, conforme a doutrina da Trindade, que o Deus criador de todas as coisas é uma pessoa, estou colocando Deus na condição de compreensão e natureza humana. Estaria, sim, removendo a plenitude incalculável da glória da divindade e tranformando o Deus Altíssimo em pessoa de homem, individualizado e limitado. A expressão pessoa remove e aniquila a natureza celestial e espiritual.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Então:

A Trindade, doutrina de domínio no cristianismo, diz que, o Único Deus, revela-se em três pessoas divinas distintas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Que a mesma divindade está no Pai, no Filho e no Espírito Santo, um único Deus em três pessoas.
Que essas pessoas são distintas, ou seja, separadas em existência, mas, existem pelo mesmo Deus.

Agora, vou interpretar:
Para poder individualizar o Pai como uma pessoa, e é o Pai quem gerou o Filho Jesus, implicaria afirmar, inclusive, que esse Pai foi criado (gerado) e é distinto.

ENTRETANTO, o Pai é o próprio Deus autoexistente, significando que esse Pai não foi criado (gerado) e, É O PRÓPRIO ESPÍRITO DE DEUS, EM PLENITUDE.

O DEUS AUTOEXISTENTE ESTÁ SE TORNANDO "PAI", RECEBE A QUALIFICAÇÃO, AO MESMO TEMPO, PORQUE GEROU O FILHO. DEUS É ESPÍRITO.

Se, não aceitar que o Pai é o próprio Deus, então teremos um Deus autoexistente e mais (+) outra pessoa distinta que seria o Pai, conforme diz a Doutrina da Trindade. A Doutrina da Trindade "força" o entendimento da existência de um Pai, para individualizar a primeira pessoa da Trindade.

Se Pai é uma qualificação dada ao próprio Deus porque gerou seu Filho, não pode ser transformado em pessoa.
A pessoa, seria o próprio Deus e, não o Pai. Para ajustar na doutrina da Trindade deveria dizer que, ao invés de Deus estar em três pessoas distintas, seria, uma pessoa estar em três pessoas distintas. Percebe como é difícil confirmar uma mentira? Basta interpretar.

A maravilhosa, insondável e inalcansável plenitude de Deus habita no Filho, pois ao Filho foi dado todo o poder, honra e glória, e, é o Unigênito do Pai, o Pai está acima Dele e, o Pai é o próprio Deus autoexistente. DEUS É ESPÍRITO.

A maravilhosa, insondável e inalcansável plenitude de Deus que habita no Filho é o Espírito Santo. O Espírito Santo não pode ser separado do Pai porque é o próprio Deus e sua plenitude autoexistente. DEUS É ESPÍRITO.
O Espírito Santo não pode ser separado do Pai e, está no Filho.

O ESPÍRITO SANTO É A VIDA DO PRÓPRIO DEUS AUTOEXISTENTE. DEUS É ESPÍRITO.

Interpretando o texto da Palavra de Deus em 1 João 5:7, diz:
" Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. "

Se nos é dado que os três, Pai, Palavra e Espírito Santo, são UM, implica que são o mesmo ser, a mesma autoexistência.

A Doutrina da Trindade diz que o Pai é uma pessoa e o Espírito Santo é outra pessoa. Esta afirmação é falsa porque não posso individualizar o que é indivisível. Deus, Pai e Espírito Santo É o mesmo e único Deus. Aqui não há separação ou individualização.
O Pai e o Espírito Santo não são pessoas distintas: ELES SÃO A MESMA PLENITUDE AUTOEXISTENTE: DEUS.

Por isso é chamado de " DEUS E PAI ".

Se, O PRÓPRIO DEUS É PAI, o Pai é a plenitude da autoexistência, da mesma forma o Espírito Santo. DEUS É ESPÍRITO.
Não podem ser considerados como pessoas separadas.

Por que diz a Palavra de Deus?
Mateus 12:31 e 32, diz:
"Portanto eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.
E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado, mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro." (ver tb. Marcos 3:29; Lucas 12:10)

Sendo Deus e Pai acima de todos, contra Ele a blasfêmia não é perdoada, pois é o Criador, o Deus autoexistente e Quem tem toda a glória. A blasfêmia contra o Espírito é a blasfêmia contra o próprio Deus e Pai. Deus é Espírito.

Jesus diz que honra ao Pai - João 8:49. O Pai é maior que o Filho.
Jesus tem o Espírito do Pai, o Pai habita nele em plenitude - Nasceu do Pai.

João 14:28, diz:
"Ouvistes que eu vos disse: Vou e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis por ter dito: Vou para o Pai; porque o Pai é maior do que eu."

Mateus 10:19, 20, diz:
"Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar; porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer;
Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós."

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

E agora?!

A doutrina da Trindade diz e é comum ouvir isso nas orações, nas famosas bênçãos apostólicas ... enfim:
"............. Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. "

Sendo Deus o próprio Pai, inseparáveis, então, teria que concordar em dizer:
"............. Pai Pai, Pai Filho e Pai Espírito Santo. "
"............. Espírito Santo Pai, Espírito Santo Filho e Espírito Santo Espírito Santo. "

Compreende a confusão? Doutrina da Trindade é uma mentira.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

O Pai, o Espírito Santo.

Quando "alguém" é chamado de pai é porque gerou um filho.
O Pai que gerou o Filho Jesus, gerou pelo seu ESPÍRITO.
Maria não concebeu de ação de pessoa física, mas, pelo ESPÍRITO SANTO. (Evangelho: Mateus 1:18 - Lucas 1:35)
Mateus 1:18, diz:" Ora o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. "

Se, Deus Pai gerou o seu Filho Jesus Cristo, então, o Espírito Santo é o próprio Espírito de Deus, do Pai, senão, não seria chamado Filho de Deus. Jesus é identificado por Filho de Deus e Filho do Pai, ou seja, quem O gerou é o único Deus e Pai.

Se, o Pai é o próprio, o mesmo autoexistente Deus, então, o Pai é o Espírito Santo. Deus é Espírito.
Se o Pai não é o Espírito, então fica entendido que o Pai é outra pessoa "gerada" por Deus.

Jesus, sendo Filho de Deus, fala com Aquele que o gerou chamando-o de Pai.
1 Coríntios 8:6, diz:
" Todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele. "

1 Coríntios 15:24, diz:
" Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. "

Se, é Filho de Deus, o Espírito Santo, por conseqüência, não pode ser considerado PESSOA, pois é plenitude de Deus, e Deus é ESPÍRITO. O Espírito de Deus é autoexistente. O Espírito Santo é a vida e glória do próprio Deus autoexistente.

O Deus criador de todas as coisas, gerou tudo pelo poder da Sua Palavra.
Do nada tudo foi trazido à existência.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Ilustrações:

Visualizando, conforme o que apresenta a Doutrina da Trindade, temos três pessoas distintas e o mesmo Deus nelas, a divindade nas três pessoas distintas.

Perguntas:
- Sendo o Deus autoexistente o próprio Pai, como posso separar uma pessoa para identificá-lo ou individualizá-lo como Pai?

- Sendo o Espírito Santo o próprio Deus autoexistente, como separar uma pessoa para identificá-lo ou individualizá-lo?

O Filho sim, esse foi gerado e é distinto e, o Deus autoexistente em plenitude está nele.

Lembrando: Não estou negando a existência do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Estou afirmando que a Doutrina da Trindade não existe, diante da interpretação da Palavra de Deus. Uma invenção perigosa.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Visualizando a interpretação até este momento apresentada, não temos três pessoas distintas.

Perguntas:
- Sendo o Deus autoexistente o próprio Pai, como posso separar uma pessoa para identificá-lo ou individualizá-lo?
A Doutrina da Trindade, para dizer que o Pai é uma pessoa, diz que Deus está no Pai, criando uma "sensação" de que o Pai está em outro plano individualizado ou disposição distinta.
Isso está errado, pois, Deus não está no Pai, DEUS É O PAI.

- Sendo o Espírito Santo o próprio Deus autoexistente, como separar uma pessoa para identificá-lo ou individualizá-lo?
Mesmo que alguém receba o Espírito Santo, esse Espírito ainda continua ligado com Deus, continua sendo UM COM DEUS, ou seja, É DEUS, não se desvinculou de Deus para ser individualizado. Disso vem a unidade perfeita, senão haveria independência do Espírito Santo em relação ao Deus e Pai.

O Filho de Deus, sim, esse foi gerado e é distinto e, o Deus autoexistente em plenitude está nele e, Ele, em Deus.

Lembrando: O Pai, o Filho e o Espírito Santo existem, mas, estou afirmando que a Doutrina da Trindade está errada.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

A imagem ao seu lado esquerdo é apenas uma representação de Deus e sua plenitude, sabendo que Deus é Espírito, o Deus autoexistente, o Deus EU SOU, o Senhor Deus.

É uma imagem limitada mas imagine que fosse "sem medida". Estou usando isso para auxiliar na interpretação sobre o assunto que estamos tratando aqui.

Você olha para a imagem ao lado e vê apenas o Deus autoexistente, o Deus EU SOU, antes que tudo fosse criado, formado ou gerado. Apenas Deus e sua autoexistência - Deus é Espírito.

João 4:24, diz:
" Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. "

Perguntas:
1. Antes de Deus gerar o seu Filho, onde estava o Filho?
Resposta: O Filho estava em Deus, no Deus autoexistente.

2. Se o Filho estava em Deus, posso dizer que o Filho estava naquele que iria gerá-lo?
Resposta: Sim, se o Filho estava em Deus, igualmente o Filho estava no Pai que iria gerá-lo, ou seja, o Pai será o próprio Deus autoexistente.

3. Se o Deus autoexistente gera ou faz manifestar seu Filho, o Deus autoexistente passa a ser Pai?
Resposta: Sim. Enquanto não é gerado, o Filho está em Deus e, sendo gerado e manifestado, Deus passa a receber e ter a qualificação de Pai e, podemos, desse ponto e dimensão de compreensão, dizer que o Filho está no Pai e, após gerado o Filho, o Pai está no Filho e o Filho no Pai.
Podemos também entender que, antes de ser gerado, o Filho já estava no Pai e que, o Pai é o autoexistente Deus, não porque o Pai seja "outra pessoa", mas, que Deus receberia a qualificação de Pai.

4. Antes de Deus gerar o Filho, Deus já era Pai?
Resposta: Não, porque só pode receber a qualificação de Pai depois que gerar, manifestar o Filho.
O Deus autoexistente, que é Espírito, se fez conhecer, manifestado, através do seu Filho Unigênito.
O Filho Unigênito recebeu toda a glória e divindade do nosso Deus e Pai.

5. O Filho estava em Deus, mas não havia sido manifestado. Se o Filho estava em Deus, posso dizer que esse Filho já é Deus?
Resposta: Não, porque para exercer a sua obra como Deus precisa passar a existir. Porque o que se pergunta é: O FILHO JESUS, GERADO ENTRE OS HOMENS, É DEUS? Somente depois de ser gerado poderá o Filho exercer sua divindade e seu reinado, e, enquanto não é manifestado ou gerado, quem exerce a plenitude da divindade é somente o Deus autoexistente. Por isso, ao Filho foi dado todo o poder, ou seja, ao Filho que foi gerado para manifestar toda a glória do Pai que o manifestou.

Uma pausa ...
Primeiro: O Filho de Deus, o Senhor, foi gerado pelo Deus autoexistente, em glória, vivendo em plenitude de glória com corpo glorioso sem corrupção, espiritual. Foi gerado pela Palavra de Deus. Deus falou e o Filho foi manifestado. Estava com Deus desde antes da fundação do mundo e, está no reino dos céus.

Segundo: O Filho de Deus, Jesus Cristo, o Salvador Ungido, foi gerado pelo Espírito Santo em Maria, em corpo de corrupção, carnal. O Filho de Deus nasceu neste mundo entre os homens, neste reino de trevas e dor.

1 Pedro 1:20, diz:
" O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós. "

6. Então, quem é o Pai de Jesus Cristo?
Resposta: O Pai de Jesus Cristo é o próprio Deus autoexistente.
O Filho foi gerado e manifestado, em glória, pela Palavra de Deus. Deus falou e, quando Deus fala, fala pelo poder do seu Espírito, e o Filho foi manifestado sem intervenção de carne, mas unicamente pelo poder de Deus que é a Palavra de Deus. Por isso o Filho é a manifestação da Palavra de Deus e o Pai se manifesta através do Filho dando ao Filho todo o poder e glória.

O Filho de Deus, Jesus Cristo, o Salvador Ungido, foi gerado e manifestado, neste mundo, pelo Espírito Santo em Maria, em corpo de corrupção, carnal. O Filho de Deus nasceu neste mundo entre os homens, neste reino de trevas e dor.

O Deus autoexistente é o "Senhor Deus" e o Filho é o "Senhor".
Salmo 110:1, diz:
" Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés. "
Quem está sentado à direita de Deus Pai? O Senhor Jesus, o Cordeiro de Deus.
Essa revelação do salmista refere ao tempo da justiça de Deus através da obra de Jesus Cristo, até que tudo se cumpra.

Gênesis 1:26, diz:
" E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; ... "

Antes de ser gerado e manifestado entre os homens, o Filho de Deus era conhecido apenas como "Senhor", mas, depois de ser gerado e manifestado entre os homens, para salvação da humanidade, recebeu o nome Jesus Cristo, ou seja, o Salvador Ungido de Deus. O Messias. O Emanuel (Mateus 1:23).

7. O Pai de Jesus Cristo é uma outra pessoa?
Resposta: Não, pois quem gerou Jesus Cristo foi o próprio Deus autoexistente pelo seu Espírito Santo. Assim, depois que gerou Jesus, manifestando-o, recebeu a qualificação de "Pai", mas esse Pai é o próprio Deus autoexistente. Por isso o erro da doutrina da Trindade de tentar separar esse Pai como se fosse uma a primeira pessoa da Trindade.

Se fosse assim, acompanhando o raciocínio estratégico católico da Trindade, já não poderiam ser três, mas quatro pessoas, a primeira pessoa deveria ser o Deus autoexistente (não foi gerado por ninguém), a segunda pessoa o Pai (teria de ser gerado), a terceira pessoa o Filho (foi gerado) e a "quarta" pessoa o Espírito Santo (teria de ser gerado). Que absurdo de interpretação das coisas da Palavra de Deus ... isso é diabólico.

8. Se Deus é Espírito, onde fica o Espírito Santo?
Resposta: O Espírito Santo ou Espírito de Deus é o próprio Deus autoexistente. Deus é Espírito.
Quando se diz que o pecado contra o Espírito Santo não será perdoado, está dizendo que, o pecado contra Deus Pai, o Senhor Deus, ou o Deus autoexistente, não será perdoado. (Mateus 12:31)

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Exemplo para auxiliar a compreensão:

Um ser humano, homem, gera um filho. Esse homem, que gerou o filho, recebe a qualificação de pai.
A qualificação é acrescentada, mas, continua sendo, PLENAMENTE, o mesmo homem. DEUS É PAI.

Esse pai não é outra pessoa, é o mesmo homem. DEUS É PAI.

Esse homem, de si, deu algo para gerar o filho e, esse algo, também, não é outra pessoa, é a sua própria existência, sua semente, SEU ESPÍRITO. DEUS É ESPÍRITO E TAMBÉM, PAI.

Aquele que nasce desse pai é uma pessoa.
Tem tudo o que é do pai, sua imagem e sua semelhança, possuindo a plenitude do pai.

Assim:
Somente o Filho foi gerado. O Pai e o Espírito Santo não foram gerados.

O Pai não está em Deus e nem Deus está no Pai. DEUS É PAI PORQUE GEROU O FILHO.

O Espírito Santo não está em Deus e nem Deus está no Espírito Santo.
DEUS É ESPÍRITO. ESPÍRITO DE DEUS. ESPÍRITO SANTO DE DEUS.

Quando Deus dá do Seu Espírito, dá de Si mesmo.
Deus não dá algo que esteja "compartimentado ou particionado" dentro ou fora Dele. Deus dá de Si. Deus dá Sua própria VIDA. Deus não dá outra pessoa.

O Espírito Santo não é uma pessoa, É O PRÓPRIO DEUS. Por isso, quem tem o Pai, tem o Filho, pelo Espírito de Deus.

O Filho foi gerado. DEUS ESTÁ NO FILHO. DEUS, que é o Pai e o Espírito Santo ESTÁ no Filho.

O filho possui A VIDA DO PAI, OU SEJA, O ESPÍRITO DO PAI (ESPÍRITO DE DEUS). O Pai ESTÁ no Filho.

Observação: Isso não confirma os unicistas, ao contrário, afasta ainda mais.

Jesus não é o Pai, mas, o Pai está Nele, pelo Espírito Santo.

Os unicistas alegam que Jesus é o Pai encarnado, unificando em Jesus as "pessoas" da Trindade.
Por isso os trinitaristas consideram o unicismo uma seita.

(Bom ... os trinitaristas vão me chamar de herege também, unicistas e trinitaristas e todos os "istas")

Jesus não é o Pai, o Pai está Nele.
João 8:29, diz:
" E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada. " O Senhor Jesus está dizendo que, se Ele não agradar o Pai, entristecendo o Espírito Santo de Deus, estará só, sem o Pai.

Jesus não é o Espírito, o Espírito está Nele.

Jesus é a manifestação da Palavra de Deus em glória e, gerado pelo Espírito de Deus em carne.

Isaías 61:1, diz:
" O Espírito do SENHOR JEOVÁ está sobre mim; porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos. "

Salmo 110:1, diz:
" Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés. "

Jesus está se referindo ao SENHOR DEUS JEOVÁ (ou JAVÉ ou YHVH ...), não está falando dele mesmo, mas Daquele que o gerou e está nele.

Por isso temos as passagens bíblicas onde Jesus e outros dizem: " Meu Pai e meu Deus ".

Algumas passagens da Palavra de Deus:
João 8:42, diz:
" Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente, me amaríeis, pois que eu saí e vim de Deus; não vim de mim mesmo, mas ele me enviou. "

João 14:10, diz:
" Não crês tu que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. "

Quem faz as obras é o Espírito Santo, o Espírito de Deus, DEUS É ESPÍRITO - Deus é o próprio Pai. Nosso Deus e Pai.

João 20:17, diz: " Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus. "

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Quem é essa Palavra?

No que diz respeito à Palavra, requer agora interpretação sobre "Quem é essa Palavra".

Alguns textos bíblicos:

Efésios 6:17, diz:
" Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. "

Hebreus 4:12, diz:
" Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. "

Hebreus 11:3, diz:
" Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente. "

A Palavra não é uma pessoa. A Palavra é DEUS FALANDO.
DEUS trazendo à existência aquilo que não existe.
Também aprendi, por tradição doutrinária indiscutível que, Jesus é a Palavra. Mas, isso está errado.

Tomando o texto do Evangelho de João, capítulo 1, versículos 1, 2, 3 e 14, temos:
" No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
... E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. " (destaque meu)

O entendimento dominante diz que o Verbo é Jesus, que o Verbo é a Palavra.

Se basear a interpretação da Doutrina da Trindade existente, pelo entendimento dominante, considerando que, o Verbo se fez carne, estaria dizendo que Jesus se fez carne, gerou a si mesmo, e não foi gerado pelo Pai ou Deus, entende-se que o Verbo gerou a si mesmo e não foi gerado.

Para ser Filho de Deus precisa ser gerado pelo Deus e Pai, senão, não pode ser chamado de Filho de Deus.

É necessário separar a ação do Pai e do Filho. Feito isso, as confusões desaparecem das interpretações.

Também, se basear a interpretação da Doutrina da Trindade existente, para confirmar que Jesus é o Verbo e Palavra, deveria, também, afirmar que a tradução de João 1:14 está errada em todas as versões da Palavra de Deus, e, deveria estar escrito assim:
" E o Verbo foi feito carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. " (destaque meu)”

No livro do Apocalipse, capítulo 19, vemos um versículo isolado, 13, que diz:
" E estava vestido de uma veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus. "

Jesus é a PERSONIFICAÇÃO OU MANIFESTAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS - HAJA LUZ!.
O Filho da Palavra de Deus. O Filho de Deus. Deus falou e o Filho foi gerado, manifestado.
Deus falou e o Filho nasceu, ou seja, foi gerado pela Palavra de Deus em plenitude da glória de Deus.

No livro de Apocalipse diz que o Cordeiro é a lâmpada de Deus de onde emana a glória de Deus.

Consegue meditar na dimensão disso? Que o reino dos céus é iluminado pelo glória de Deus que flui através do Cordeiro.
Apocalipse 21:23, diz:
" E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. "
Apocalipse 22:5, diz:
" E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os alumia, e reinarão para todo o sempre. "

OBS: Deixo destacado que não confirmo a doutrina da seita Testemunha de Jeová - a interpretação que apresento nada diz respeito ou se compara em igualdade neles.

Jesus fala pelo Espírito de Deus. O Pai é quem fala e faz as obras através do Filho. JESUS FALA A PALAVRA DE DEUS.

A Palavra de Deus, dada pelo Senhor Jesus, diz:
- Evangelho de João, 5:43, diz: " Eu vim EM NOME DE MEU PAI, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis. " (destaque meu)

- Evangelho de João, 10:25, diz: " Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo tenho dito, e não o credes. As obras que eu faço, EM NOME DE MEU PAI, essas testificam de mim. " (destaque meu)

- Evangelho de João, 14:10, diz: " Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim?
As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas O PAI, QUE ESTÁ EM MIM É QUEM FAZ AS obras. " (destaque meu)
Quem faz as obras é o Espírito Santo, o Espírito de Deus, DEUS É ESPÍRITO - Deus é o próprio Pai. Nosso Deus e Pai.

Carta aos Colossenses, capítulo 3, versículo 17, diz:
" E "tudo" o que fizerdes por palavras ou por obras, fazei "tudo" em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. (destaque meu) "

O texto de Colossenses diz "tudo". O próprio Senhor Jesus ensinou fazer assim.

Carta aos Hebreus, capítulo 1, versículo 5, diz:
" Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei?
E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho? " (tb. Sl 2:7; At 13:33; Hb 5:5)

JESUS É A MANIFESTAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS.

O PRÓPRIO JESUS FALA A PALAVRA DE DEUS, QUE ESTÁ NELE E FLUI DELE, PELO ESPÍRITO DE DEUS QUE É O ESPÍRITO DO PAI.

Por isso, o Pai, a Palavra e o Espírito Santo são UM. Ou seja, UM = DEUS = O DEUS AUTOEXISTENTE.
DEUS É ESPÍRITO, plenitude e autoexistência absoluta.

O Pai e o Espírito Santo seriam considerados pessoas se tivessem sido criados.
Isso não é possível, pois são a mesma existência.

São expressões que identificam o que É em si mesmo, mas, não são pessoas diferentes do Deus: "EU SOU O QUE SOU".

Pai, Palavra e Espírito Santo não são expressões que individualizam pessoas.
Pai, Palavra e Espírito Santo são expressões que se identificam dentro da "mesma existência".

O Pai gerou o Filho. Deus é o Pai.
O Deus e Pai gerou o Filho PELA SUA PALAVRA.

Quando é dito que Jesus é a Palavra, fica errada e limitada a compreensão, porque, sendo Jesus o Filho de Deus, certamente foi gerado e, em glória, o Filho foi gerado pela Palavra de Deus, sem intervenção de outra natureza, mas, somente pela Palavra de Deus.

O Deus ou a Palavra que gera o Filho é o Pai, pois, o próprio Jesus afirma que Ele fala pela Palavra do Pai e não fala dele mesmo. O Pai fala e faz as obras através do Filho.

Quando é dito que o Filho criou todas as coisas, devo entender que, quem falou através do Filho para criar todas as coisas foi o Pai, ou o próprio Deus, pois, quem faz todas as obras é o Pai.

- Evangelho de João, 14:10, diz: " Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim?
As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas O PAI, QUE ESTÁ EM MIM É QUEM FAZ AS obras. " (destaque meu)
Quem faz as obras é o Espírito Santo, o Espírito de Deus, DEUS É ESPÍRITO - Deus é o próprio Pai. Nosso Deus e Pai.

Se aceito que Jesus é a Palavra, sou levado ao errado entendimento de que a Palavra gerou a si mesma.
* Sem cair na interpretação dos Testemunhas de Jeová porque a exposição que apresento não usa dos mesmos argumentos deles.

Jesus é o Filho da Palavra de Deus, podendo assim, ser chamado, também, de Palavra de Deus.

Seria, de modo simples, dizer:
É chamado de Palavra de Deus (Filho), aquele que foi gerado pela Palavra de Deus (Pai).
Mais simples ainda: Tal o Pai, tal o Filho.

Entretanto, Jesus não é a Palavra citada em 1 João 5:7.

Assim, o texto da Palavra de Deus em 1 João 5:7, diz:
" Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. "

A PALAVRA está/existe em Deus em plenitude que ao homem não é possível alcançar.

Em essência autoexistente, a Palavra é Espírito, dentro do domínio do próprio Deus que é Espírito.
Ou seja, é UM. Não é pessoa.

Deus fala sua própria PALAVRA que É e EXISTE EM SI MESMO.

O DEUS AUTOEXISTENTE É A PALAVRA.

O Filho Unigênito foi gerado pela PALAVRA DE DEUS.

Deus falou e, pela sua PALAVRA o Filho Unigênito EM GLÓRIA foi gerado e manifestado.

Completando a compreensão, o Pai, a Palavra e o Espírito Santo, que são UM, ESTÁ NO FILHO.
A plenitude do Deus autoexistente ESTÁ NO FILHO.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

E a Trindade?

Já não pode ser sustentada a Doutrina da Trindade, porque, o Pai e o Espírito Santo, conforme exposto acima, são uma só existência e, não são duas pessoas distintas.

O Pai não foi criado, pois é o próprio Deus autoexistente. É chamado Pai porque é Aquele que gerou o Filho Jesus Cristo.
O Espírito Santo não foi criado, pois é o próprio Deus autoexistente.

A manifestação da vontade do Deus autoexistente em plenitude, gerou Jesus Cristo e, assim, esse Deus autoexistente é o próprio Pai.

Se o Pai fosse uma pessoa, parte distinta, caberia ao argumento da Doutrina da Trindade, mas, se o Pai é o próprio Deus, não há como separá-LO porque é a mesma existência.

Conforme a Palavra de Deus diz, nos dirigimos ao nosso Deus e Pai ou ao nosso Deus Pai.

A doutrina da Trindade não existe!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

A trama da Santíssima Trindade - Católica Apostólica Romana.

Em um trecho do estudo sobre a Doutrina da Trindade, no site do CACP, escrevem que, aceitam a Trindade de acordo com o que expõe a Palavra de Deus nas seguintes passagens:

Mateus 28:19, diz: " Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. "
(essa passagem é uma manipulação feita na Palavra de Deus - abaixo, breve consideração)

Efésios 4:4-6, diz:
" Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos. "

1 Coríntios 12:4-6, diz:
" Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. "

2 Coríntios 13:13, diz:
" A graça do nosso Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com vós todos, Amém. "

Números 6:24-26, diz:
" O Senhor te abençoe e te guarde; O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti. O Senhor sobre ti levante o seu rosto, e te dê a paz. "

Texto bíblico adulterado - Mateus 28:19.

Evangelho de Mateus 28:19, diz:
" Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; "

** Entretanto, tendo em vista que a "trama" sempre deixa vestígios que, progressivamente são descobertos, encontrei um texto de Mateus 28:19 em um site católico, com a seguinte interpretação:

Disse Nosso Senhor: "Ensinai todas as gentes, e batizai-as em nome do Padre, e do Filho, e do Espírito Santo".

** Em outro trecho desse mesmo texto católico diz:
"É claro, é só um exemplo, muito imperfeito, mas que nos ajuda a compreender o grande mistério que é a Santíssima Trindade, base de nossa Fé, fundamento de nossa Redenção, sustentáculo de nossas vidas e no qual, todos os dias, através do sinal da Cruz, nós afirmamos a nossa fé: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo."

** Outro trecho em outro texto católico, diz:
"4. A SS. Trindade na vida da Igreja. Como já se disse acima, a Igreja, no cumprimento da palavra de ordem de J. C., baptiza os crentes "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo", e só admite ao Baptismo depois de profissão de fé trinitária. Na liturgia latina, que separa da celebração do Baptismo a da Confirmação ou Crisma, os fiéis só são admitidos a este sacramento depois de repetirem a profissão de fé baptismal.
Toda a celebração da Eucaristia, desde o gesto inicial à bênção final, passando pelas orações, doxologias e outras fórmulas, se faz em nome da SS. Trindade. Coisa semelhante se verifica na celebração dos outros sacramentos e sacramentais.
O primeiro gesto que se ensina às crianças cristãs e catecúmenos é o benzer-se "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".
Como se não bastasse, a Igreja reserva um domingo do ano (logo a seguir ao Pentecostes) à especial celebração, com a categoria de solenidade, do mistério da SS. Trindade. (Cf. Cat. 232-267)"

Definição de "Santo Padre" = Sumo Pontífice = Papa. Eis aí a sutileza embutida.

Quando se objetiva um propósito, não importa o tempo que levará.
Importa que o plano esteja em andamento progressivo e, em coisas espirituais, sabemos a dimensão disso.
Ou não?

Para saber se um texto está em desacordo ou fora de contexto bíblico, basta INTERPRETAR A PALAVRA DE DEUS para que o erro fique em evidência.

Esse texto de Mateus 28:19 é uma aberração, mas, para os que querem sustentar doutrinas, ele é indispensável.

Quando foi desenvolvida questão sobre o * Batismo nas Águas (ver estudo) ser em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo ou em nome de Jesus Cristo, O Senhor, essa evidente manipulação também manifestou. Essa manipulação visa sustentar o interesse da igreja católica apostólica romana, através da Doutrina da Santíssima Trindade e a marca, o sinal da cruz.

Se a igreja católica apostólica romana ia evangelizar o mundo e tendo o Papa como referência de ser Deus em plenitude na terra, a Doutrina da Trindade lhe dá essa sustentação. O Papa é, conforme pretendem sugestionar, a própria personificação da Trindade e, o sinal da cruz se tornaria uma marca, seguindo a evangelização feita por eles ao redor do mundo.

Nas considerações sobre o Batismo nas Águas, é infantil dizer que os apóstolos fizeram exatamente aquilo que não deveria ser feito, ou seja, batizar nas águas EM NOME DO SENHOR JESUS.

O único texto bíblico que sustenta o batismo pela Trindade é Mateus 28:19. Nos demais textos o batismo é feito em nome do Senhor Jesus.

A Doutrina da Trindade aplicada pelo catolicismo romano e, adotada dissimuladamente pela igreja chamada evangélica, removeu a plenitude da autoridade de Jesus Cristo, único Senhor, que lhe foi conferida pelo seu Deus e Pai.

A DOUTRINA DA TRINDADE, SUTILMENTE, REMOVE A PESSOA E AUTORIDADE DO ÚNICO MEDIADOR.
Assim, já se fala EM NOME DO PAI, sem precisar do mediador Jesus Cristo.

O que diz a Palavra de Deus, dada pelo Senhor Jesus:
- Evangelho de João, 5:43, diz:
" Eu vim EM NOME DE MEU PAI, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis. " (destaque meu)

- Evangelho de João, 10:25, diz:
" Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo tenho dito, e não o credes. As obras que eu faço, EM NOME DE MEU PAI, essas testificam de mim. " (destaque meu)

- Evangelho de João, 14:10, diz:
" Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim?
As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas O PAI, QUE ESTÁ EM MIM É QUEM FAZ AS OBRAS. " (destaque meu)
Quem faz as obras é o Espírito Santo, o Espírito de Deus, DEUS É ESPÍRITO - Deus é o próprio Pai. Nosso Deus e Pai.

Carta aos Colossenses, capítulo 3, versículo 17, diz:
" E "tudo" o que fizerdes por palavras ou por obras, fazei "tudo" em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. (destaque meu) "

O texto de Colossenses diz "tudo". O próprio Senhor Jesus ensinou fazer assim.

Jesus faz as obras em nome do Pai, o Pai que está em Jesus e faz as obras. Nós, os que cremos, fazemos as obras em nome de Jesus Cristo, pois, o Senhor Jesus é a justiça do Pai e único intermediador e acesso ao Pai. Unicamente através do Senhor Jesus podemos realizar alguma coisa.

Disso, fica exposta uma sutileza diabólica.
A expressão "Em nome do Senhor Jesus Cristo" não interessa para o catolicismo romano. Não haveria o sinal da cruz.

O principal interessado para que o batismo nas águas seja em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, é da igreja católica apostólica romana, fortalecendo a Doutrina da Santíssima Trindade.

O principal interessado para que se faça uma oração (reza) em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, é da igreja católica apostólica romana, fortalecendo a Doutrina da Santíssima Trindade.

O principal interessado para que as obras da igreja sejam em nome da Trindade é a igreja católica apostólica romana.

No meio evangélico já muitos adotaram a "reza" em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo em circunstâncias diversas.

Pergunto:
- Há diferença em orar, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, mesmo sem fazer o sinal da cruz?
- Há diferença em batizar nas águas, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, mesmo se não for na pia batismal?
- Há diferença em participar da Santa Ceia, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, mesmo se não houver hóstia?

... Aceitaram o engano ...

A igreja chamada evangélica, há muito, é ecumênica. Alguém percebeu ou discerniu isso?
Mistura e vive de rituais e doutrinas das mais variadas, adotadas por "seitas".

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Jesus Cristo é Deus?

Carta aos Hebreus, capítulo 1, versículos de 1 a 5, diz:
" Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,
A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. (por quem = por meio de = através de)
O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas, pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas; Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto mais excelente nome do que eles. Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho? " (destaque meu)

Colossenses 1:15-19, diz:
" O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação.
Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele.
Ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subexistem por ele.
E ele é a cabeça do corpo da igreja: é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência. Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse. " (destaque meu)

Colossenses 2:9, diz:
" Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade. "

Estamos diante de dois textos aparentemente divergentes sobre a mesma referência que é Jesus Cristo.

Um diz que Jesus é a imagem expressa de sua pessoa (Deus), enquanto que o outro texto diz que Jesus é a imagem do Deus invisível.

Pela interpretação, fica em evidência que o texto de Hebreus está montado ou traduzido de modo a criar uma ambigüidade, pois, a plenitude do EU SOU não permite limitá-lo a uma individualidade pela expressão pessoa.

Tudo que existe foi criado pela Palavra de Deus, Palavra do Deus "EU SOU".
A primeira manifestação da Palavra do nosso Deus e Pai, foi gerar o Filho.
O Filho é, por isso, a plenitude da glória do Pai, a plena manifestação da glória do Deus EU SOU.
O Filho é a primazia em tudo o que existe. O Filho é antes de tudo o que foi criado.

Tendo Jesus Cristo recebido TODO O PODER, dado por seu Deus e Pai, essa plenitude lhe dá essa posição.
Por isso, também, é o único que pode ser Mediador entre Deus e os homens.

Jesus Cristo é UM COM O PAI. Tudo ele recebeu do Pai. TUDO! mas, não teve por usurpação tomar o lugar do Pai.
No Filho Jesus Cristo o Deus vivo habita em plenitude.

Assim, mais uma vez, fica firmado que, TODAS AS OBRAS da Igreja são feitas em nome do Senhor Jesus Cristo, e, não, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Seguindo o raciocínio trinitário ou da doutrina da Trindade, se a divindade está nas três pessoas, ao invés de dizer, "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo", poderia dizer de modo resumido: "em nome de Deus" ou "em nome da Trindade" (tendo em vista o costume de tornar científico e personalizado o que Deus não autorizou - perigoso escrever isso porque algum louco pode adotar ...).

Carta aos Colossenses, capítulo 3, versículo 17, diz:
" E "tudo" o que fizerdes por palavras ou por obras, fazei "tudo" em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. (grifo meu) "

O texto de Colossenses diz "tudo", isso inclui o Batismo nas Águas também, pois, é obra da Igreja de Jesus Cristo.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Conclusão:

O Pai, o Filho e o Espírito Santo, conforme apresentado, não estão sendo negados.
Confirmada está a errada, maligna e dissimulada interpretação imposta pela Doutrina da Trindade ou Santíssima Trindade.

Não é possível separar o Pai de Deus, porque o Pai é uma qualificação dada para Deus porque gerou seu Filho, não porque é uma pessoa diferente ou separada de Deus. Por isso não se pode dizer que Deus está no Pai, conforme diz a Doutrina da Trindade, pois, Deus é o próprio Pai ou, o Pai é o próprio Deus.

Não é possível separar o Espírito Santo de Deus, porque Espírito Santo é uma expressão dada para Deus, DEUS É ESPÍRITO, não porque é uma pessoa diferente ou separada de Deus. Por isso não se pode dizer que Deus está no Espírito Santo, conforme diz a Doutrina da Trindade, pois, Deus é o próprio Espírito Santo. Pela Doutrina da Trindade, seria dizer que o Espírito de Deus está no Espírito Santo.

E, quando Deus dá do Espírito Santo, dá de si mesmo, e não de outra pessoa, porque, pela interpretação da Doutrina da Trindade, seria obrigado dizer que, o Espírito Santo é criado ou gerado por Deus, porque é outra pessoa.

O Filho de Deus sim, este foi gerado e está separado e pode ser considerado pessoa.
O Filho tem, pelo Espírito Santo, a plenitude do Pai, ou, a plenitude de Deus, pois, Deus é o Pai.

Mais ...
- O Pai, a Palavra e o Espírito Santo, não são a mesma pessoa, mas, É o mesmo Deus autoexistente em plenitude.

- O Pai, a Palavra e o Espírito Santo, não podem ser considerados pessoas.

- A expressão pessoa é uma individualização de personagens, como se tivessem sido gerados ou pudessem ter vida existencial separadas, o que não pode acontecer com o único Deus quando falamos de Pai, Palavra e Espírito Santo. (explicado acima)

- Jesus Cristo foi gerado na terra como homem carnal e, assim, assumiu a condição de pessoa, conhecida e individualizada entre os homens. As duas naturezas estavam em Cristo, a terrena e a celestial.
Mesmo nascido em corpo carnal, tinha dentro de si a divindade. Por isso é chamado Filho do homem.

- A plenitude de Deus Pai está em seu Filho Unigênito e, do mesmo Deus e Pai, recebeu Todo o Poder e, quem faz as obras através do Filho é o Pai. (explicado acima)

- Tendo Jesus, recebido Todo o Poder, lhe foi dada toda a autoridade, por isso, TUDO se faz em nome Dele, ou seja, em Nome do Senhor Jesus Cristo. (Batismo nas Águas e orações (rezas) ou qualquer outra obra que se faça em nome da Trindade é doutrina do catolicismo romano)

- Jesus Cristo foi individualizado na terra, da mesma forma como os demais filhos de Deus, que crêem Nele.

Não apenas em uma passagem na Palavra de Deus, mas, em uma dessas, com simplicidade podemos dizer:
" Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome do Senhor Jesus Cristo. " (Efésios 5:20)

Nem Unicismo, nem Trinitarismo, e qualquer outro "ismo", somente Palavra de Deus.

Senão ... prossiga com o pacote-pronto-doutrinário-inquestionável.

... Paz ao seu coração.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Pergunta recebida por e-mail - 1:

Gostaria de saber sua opinião à seguinte pergunta: A doutrina da trindade ensina que Deus é um, mas coexistente em três pessoas distintas. No céu, veremos o Pai, o Filho e o Espírito Santo?

Resposta:
(...) Apocalipse 21:22, 23 ...
" E nela não vi templo, porque o seu templo é o SENHOR Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.
E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem alumiado, e o Cordeiro é a sua lâmpada ..."

O que isso quer dizer?
A maravilha da Palavra de Deus é a sua revelação.
Na Palavra de Deus, quando encontramos a expressão "Senhor Deus", está referindo ao nosso Deus e Pai, o Pai do Senhor Jesus Cristo.
Quando diz "Senhor", sem acrescentar "Deus", é o Filho, o Senhor Jesus.

No Salmos 110:1, o Pai, que é o SENHOR Deus fala ao Filho, diz:
" Disse o SENHOR ao meu Senhor:
Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés. "

Conforme a tradução e versão da Palavra de Deus, há diferenças nisso, mas, a essência do entendimento é assim.

Deus é Espírito, e, manifestou, gerou o Filho pela Palavra do seu Espírito.
Deus disse e o Filho foi gerado em glória, pela Palavra de Deus, por isso, quando dizemos "Palavra de Deus" é porque Deus falou ou fala. Quando Deus fala, o universo ouve e obedece. Quando Deus fala, as coisas passam a existir do nada.

Sendo Deus o próprio Pai, o SENHOR Deus, ele é Espírito, a luz inacessível.
1 Timóteo 6:16, diz:
" Aquele que tem, ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém. "

O Cordeiro, que é o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus Pai, o Filho de Deus, conforme diz acima na passagem:
Apocalipse 21:22, 23 ...
" E nela não vi templo, porque o seu templo é o SENHOR Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.
E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem alumiado, e o Cordeiro é a sua lâmpada ..."

Quando olhamos para uma lâmpada acesa, vemos um corpo físico emanando algo não físico.

Isso diz que: Deus Pai, o SENHOR Deus, sendo Espírito, ele existe e está plenamente no Filho amado, o Cordeiro. O Cordeiro (lâmpada do SENHOR Deus) está cheio da e, emana a glória do Pai, aleluias, a plenitude do Espírito da glória do Pai, e, essa glória que emana do Filho amado (lâmpada) alumia todo o Reino dos Céus, glórias ao Deus Altíssimo, cheio de beleza e maravilhas eternas.

Sendo Deus Pai, Espírito, e plenitude da eternidade, habita no Filho e nos filhos, nos anjos. A vida de Deus, que é seu Espírito Santo, habita ou existe nos filhos, mas, não é separado do Pai. Disso vem a Unidade perfeita. Conseguiríamos contemplar a dimensão disso?

Não será possível ver o Espírito Santo como se fosse uma pessoa, mas, é o próprio SENHOR Deus em plenitude de glória, pois, Deus é Espírito, está em todos os filhos e, tudo está nele.

Também, no Cordeiro, nos filhos Deus, nos anjos, o Espírito Santo está neles e, não existem Espíritos Santos, como se pudessem ser separados de Deus, ou seja, você olhar e ver vários Espíritos Santos como se fossem pessoas.

Receber e ter o Espírito Santo significa ter o Espírito de Deus, ter Deus mesmo, por isso, os filhos de Deus são "templos do Espírito Santo", onde Deus habita e manifesta. Deus dá de si e, não, algo separado Dele, que esteja fora Dele.

O Espírito Santo está em Deus e, Deus, é o próprio Deus e Pai. Deus é Espírito.

Qual a blasfêmia que não tem perdão?
A blasfêmia contra o Espírito Santo.

O Espírito Santo é mais que Deus e o Pai?
Certo que não, pois, é o próprio Deus e Pai. O Senhor Jesus diz que o Deus e Pai está acima dele.

Acima de Deus Pai ou Deus e Pai, há mais alguém? Certo que não.

Quem é que sabe de todas as coisas insondáveis, que o Filho não sabe, inclusive o tempo do fim deste mundo?
Somente o Pai.

Disso, decorre que: Doutrina da Trindade é erro e engano. É uma doutrina forçada e aceita sem questionamentos, que alimenta e fortalece o catolicismo romano e, diretamente o Papa, o Santo Padre, o Santo Pai - a pessoa da trindade - o Papa é deus, substituto, representante encarnado e, os que se dizem evangélicos adotaram e adotam como doutrina de Cristo.

Só falta, para os que se dizem evangélicos, o sinal da cruz, pois, esse sinal da cruz existe por causa dessa doutrina da trindade, além de outras coisas feitas "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo".

A Palavra de Deus, só fala "em nome do Senhor Jesus".
Em nome do Senhor Jesus é exatamente contra os interesses do catolicismo ... Grave erro e engano.

Mateus 28:19, diz:
" Portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. "
(Este texto, Mateus 28:19, é uma manipulação feita na Palavra de Deus, pois, isoladamente, unicamente e estranhamente, fala ao contrário da unanimidade de outros textos bíblicos que diz "em nome do Senhor Jesus")

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Pergunta recebida por e-mail - 2:

"A minha vida é dos Três."
Tenho lido, visto e ouvido pessoas colocando a seguinte frase de um certo hino: "A minha vida é dos Três." É correto dizer isso?

Resposta: (com acréscimos)
Paz da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo.

Da mesma forma que, pelo natural, somos gerados, assim é pelo espiritual.

Quando nossos pais naturais se relacionaram e fomos concebidos, assim é também nas coisas espirituais, dos filhos nascidos de Deus.

O Senhor Jesus foi concebido pelo Espírito Santo em Maria. Jesus é o FILHO DE DEUS. Senão, pela compreensão literal teríamos que dizer que o Pai de Jesus é o Espírito Santo e não Deus Pai. Jesus não pode ter dois pais. Por isso, por mais que se faça, não é possível ajustar ao conceito da doutrina da trindade.

Se nascemos de Deus, nascemos do seu Espírito Santo e, fomos regenerados, ou seja, nascemos verdadeiramente de novo. Houve uma concepção. Isso é real.

O Senhor Jesus diz que Ele e o Pai estaríam em nós, os que cremos. Ou seja, pelo Espírito Santo, a mesma essência, pelo mesmo Espírito que é a VIDA do Pai e do Filho. O Espírito Santo é a própria VIDA DO PAI. O Pai dá de si mesmo. O Pai da do seu Espírito.

Quando você nasce de seus pais terrenos, em você há algo de seu pai e de sua mãe.

Seus pais terrenos estão em você pelo espírito do homem natural, você nasceu de pai e mãe naturais, terrenos.

Seu pai terreno está em você porque ele gerou você através da sua mãe, mas, o espírito de seu pai natural não é uma PESSOA dentro de você, mas a essência do espírito dele, algo dele está em você.

O espírito dele está em você, pois dele você foi gerada, mas você tem o seu próprio espírito, senão você seria apenas uma cópia ou clone de seu pai natural. Você tem seu próprio espírito por causa da natureza mas, está vinculada ao seu pai terreno pelo espírito que vem dele, gerada por ele.

Parece complicado? No começo parece ....

Qualquer um que tenha nascido da descendência de Adão, precisa nascer de novo para ser filho de Deus em Cristo, não há exceção.

Essa natureza terrena que recebemos dos nossos pais terrenos passa pela regeneração e passamos a ser filhos de Deus. Nosso espírito passa pela santificação.

Por isso, dizer que sou do Espírito Santo, conforme cantam nos meios chamados evangélicos, é dar, é criar a existência de um ser ou uma PESSOA que não existe, mas é a vida do próprio Deus que nos gerou. Essa vida de Deus em nós é para ficar em nós pois nos foi dada pela concepção de Deus, gerando nós filhos de Deus.

Estando em nós e, sendo nós, se adorar esse Espírito Santo como PESSOA estarei adorando a mim (compreende isso?). Esse Espírito Santo que me gerou ESTÁ EM MIM E, AGORA, SOU EU. EU SOU A PESSOA.

O Espírito Santo gera, concebe o filho de Deus, que são os santos, os nascidos de Deus, são as pessoas com seus espíritos santificados.

O Espírito Santo não é uma PESSOA dentro da pessoa. A expressão PESSOA não serve para referir-se ou "qualificar" o único Deus verdadeiro.

Deus não é pessoa, Deus é Deus. Impossível e blasfêmia é comparar ou nivelar o sentido da expressão "pessoa", que é de natureza terrena, para o sentido da expressão "Deus", que é de natureza celestial. Fazer isso é trazer Deus para a dimensão de natureza terrena. Essa dor e maldição Cristo experimentou quando nasceu aqui, nascendo em carne de pecado para cumprir a justiça de Deus Pai. Por isso, também, Cristo ressuscitou e voltou para sua verdadeira Casa e Reino, em corpo glorioso, celestial. No Reino dos Céus não há pessoas. No Reino dos Céus há a glória de Deus, sua vida, o Filho, os anjos, os seres, os santificados e transformados para a natureza celestial, e esses não são pessoas. A expressão "pessoa" serve apenas para os terrenos, deste mundo, deste Reino Terreno ou Reino das Trevas.

O Espírito Santo que gerou o filho de Deus (por isso é real o nascer de novo), faz manifestar a vida, a essência de Deus na pessoa, unificando com o espírito da pessoa, nisso está santificação, ou seja, a natureza do espírito da pessoa muda, de natureza terrena para celestial.

Evangelho de João, capítulo 3, diz:
"4. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
5. Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
6. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.
7. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.
8. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito."

A verdade real apresentada pelo Senhor Jesus Cristo diz que o nascido da carne é carne (natureza terrena) e o nascido do Espírito é espírito (natureza celestial), e que necessário nascer de novo, ou seja, todos os carnais (natureza terrena) necessitam nascer de novo, pelo poder de Deus, pelo Espírito Santo, para serem filhos de Deus, espirituais (natureza celestial).

Agora, nascidos de novo, pela nova concepção, gerados pelo Pai, pelo seu Espírito Santo.
2 Coríntios, capítulo 5, diz:
"15. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.
16. Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo.
17. Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo."

1 João, capítulo 3, diz:
"6. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu.
7. Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como ele é justo.
8. Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo.
9. Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.
10. Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus."

Observação: Por esse texto acima consideramos os mercenários que fazem da Palavra de Deus um grande negócio lucrativo. Falsos filhos de Deus que possuem liderança ou seguem seus líderes cegamente, enganando pessoas sem compreensão da Palavra de Deus, explícitamente e descaradamente, sem temor ou amor a Deus. Esses falsos irmãos e falsos ungidos são injustos, pecadores e cometem iniquidade, blasfemando do Deus Altíssimo, usando a Palavra de Deus com ajustes que lhes são adequados e convenientes.

Enfim ...
Os anjos de Deus adoram a Deus e não ao Espírito Santo que neles É e ESTÁ. Senão precisariam acreditar, eles (anjos) e nós, que uma PESSOA está dentro de nós e não a VIDA de Deus unificada em nosso espírito santificado.

Todo nascido de novo, ou nascido de Deus, pelo Espírito Santo, é uma PESSOA SANTA, uma NOVA CRIATURA.
A semente santa permanece em todo aquele que é nascido de novo. A semente santa não é uma PESSOA.

A semente, sim, gera uma pessoa, carnal ou espiritual.
A semente de Deus gera um filho de Deus, a semente de Satanás gera um filho do mundo.

1 Coríntios, capítulo 15, diz:
"36. Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer.
37. E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo, ou de outra qualquer semente.
38. Mas Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo.
39. Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves.
40. E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres.
41. Uma é a glória do sol, e outra a glória da lua, e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela.
42. Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção.
43. Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor.
44. Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.
45. Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
46. Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.
47. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.
48. Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais.
49. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.
50. E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção."

1 Pedro, capítulo 1, diz:
"16. Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.
17. E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,
18. Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,
19. Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado,
20. O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós;
21. E por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus;
22. Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro;
23. Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.
24. Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;
25. Mas a palavra do Senhor permanece para sempre."

Sergio Luiz Brandão

· Estudos Bíblicos Evangélicos - Apresentação
· Estudos Bíblicos Evangélicos - Índice
· Livros Online - Estudos Bíblicos Evangélicos
· Mensagens Bíblicas Evangélicas - Relevantes
· Mensagens Bíblicas Evangélicas - Áudio
· Falsas Doutrinas Evangélicas
· Perguntas e Respostas Bíblicas Evangélicas
· Cânticos Livres
· Cânticos Livres - Download MP3
· Deus Pai tem uma Lágrima
· História "BLUES TO THE LORD - CHURCH"
· Jornada pela Liberdade - Igreja nos Lares
· Eu Não Sou Mais Presbítero
· Formulário - Contato
· Receber Informativos
· Formulário - Indicar Site
· Cancelar Recebimento de Informativo
· Política de Privacidade
· Ofertas voluntárias: Sergio Luiz Brandão - Banco Itaú - Agência 0740 - Conta Corrente 12094-4
BLUES TO THE LORD - CHURCH - Brasil - São Paulo - Site Evangélico - 2004 ...
www.blues.lord.nom.br